Inner City – Álvaro Domingues

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Nesta apresentação enquadrada no evento Inner City, realizado em 17-abril-2009, Álvaro Domingues, geógrafo, docente da Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto apresenta alguns dos factores que podem ter levado a cidade do Porto e a região norte para uma situação de declinio, nomeadamente a situação de dupla periferia, mas aponta também alguns sectores que estão a revelar algum dinamismo, como a o caso do sector da saúde, e que podem representar oportunidades de desenvolvimento para a região.

Podem descarregar o programa directamente ou subscrever o podcast através deste link .

Duração total – 33:48

Algumas notas:

  • porto teve processo terciarização tardio e truncada
  • dupla periferia – país periférico e aglomerado urbano periférico no seu país
  • relação sector do serviços => adm. pública e consumo final
  • tecido industrial pouco interessante na procura de serviços
  • sectores tradicionais => no processo produtivo
  • sectores emergentes => saúde, farmácia, produção software mas corpuscolar
  • ausências notórias => média – produção e divulgação da opinião está centralizadissima como quase tudo
  • provoca amnésia do que é a vida pública da cidade e região
  • pontos positivos: universitario, saúde (investigação), indústria dos serviços saúde; logistica (rede viaria, leixoes, aeroporto)
  • fixadora de mão de obra muito qualificada
  • estes sectores não são portocentricos
  • rede infraestutural como efeito disseminador
  • turismo => sector normalmente com boa performance na globalização
  • sobre massifica / sobre especializa
  • falta experiência a promover
  • cruzeiros? tentar atrair as rotas dos eua, mas tem a competição de vigo
  • dificl montar estratégia para vender turismo
  • podia ter sido turismo congressos… concorrência algarve
  • potencial da produção cultural => desproporção positiva (dimensão da cidade vs imagem que projecta)
  • cruzamentos entre sectores – ex: saude + turismo
  • combinações virtuosas => por exemplo na saúde coimbra – porto
  • mas a quem vamos vender isso?
  • qual o potencial norte portugal / galiza? não há grandes dados
  • anda ao sabor do voluntarismo
  • se não há actores, as coisas acabam por se desfazer
  • economia centrípeta / rarefeita
  • cidades nó de autoestrada
  • 3 fases de internacionalização no passado: rota flandres – liga hanseatica; inglaterra; brasil
  • agora em que geografia da internacionalização estamos?

1 comment.

Leave a comment.

Your email address will not be published. Required fields are marked *