Movimento Cívico pela Linha do Tua – Daniel Conde

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Daniel Conde, membro do MCLT, na apresentação que fez no debate organizado pelo Movimento Cívico da Linha do Tua em Bragança a 17 de Janeiro de 2009 faz um apanhado histórico de todo o processo de desactivação da Linha do Tua, desde os horários descoordenados com as necessidades da população até aos últimos acidentes ocorridos no que resta da Linha do Tua.
Questiona ainda a opção pelas ciclovias e compara com os investimentos que têm sido levados a cabo em Espanha nas linhas de via estreita.

Duração total: 09:40

Podem descarregar o programa directamente ou subscrever o podcast através deste link .

Algumas Notas:

  • disconnect entre horarios da linha do tua e utilizadores habituais (estudantes)
  • material desactualizado
  • também foram fechadas muitas linhas no alentejo
  • semelhança entre o que se passou na altura e o que se está a passar agora
  • linha do tua tinha passageiros? 1991 -> 170.000 passageiros, em dois anos perdeu 80,000 com o encerramento da ligação em mirandela obrigando a transbordos
  • sobre os acidentes. já havia relatórios de seguranaça 2000 e 2007
  • “as compensações atribuidas pela barragem do tua duram até quando, duas gerações, três gerações? é que a barragem vai durar no minimo 70 anos”
  • comparação entre construção e reforço de potencia na barragem do picote -> por 1/3 do custo da barragem do tua vai produzir 75% do que a barragem do tua produz (…) 0,5% energia a nivel nacional.
  • “se todos dizem que as barragens vão trazer desenvolvimento, porque é que as cinco barragens do distrito de bragança ainda não trouxera desenvolvimento… o que é que a barragem do tua vai ter de diferente dessas cinco barragens”
  • sobre o impacto ambiental que vai ter e o estudo que foi feito.
  • dificuldade em implementar transportes rodoviários que substituam eficazmente
  • alternativas – ciclovia? caso da ciclovia do sabor – custo 125mil euros por quilómetro mais renda de 10mil euros que a câmara de torre de moncorvo tem que pagar à refere, utilizada maioritariamente por locais.
  • ferro carriles via estrecha – transcantarbico – via estreita – reabriu em 2003 linha com 340 km e com um custo/quilometro 123mil/euros; autoestrada-trasmontanta – 3M€/quilometro
  • reabrir 340 quilometros de caminho de ferro em portugal corresponderia a reabrir a linha do sabor, tua, corgo, tâmega, douro e com os restantes quilometros quase que se ia daqui [bragança] até à pueble de sanabria
  • papel da linha do tua no desenvolvimento da regiao – oportunidade de ligação à rede de alta velocidade espanhola em puebla sanabria
  • linha deve ser modernizada, concertação com transporte publico rodoviario, criação de comboios historicos
  • quem são os responsáveis pela degradação da linha

Leave a comment.

Your email address will not be published. Required fields are marked *