Representantes do Porto – Pedro Moutinho (CDS-PP)

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Entrevista com Pedro Moutinho, líder da Concelhia do Porto do CDS-PP e deputado da Assembleia Municipal do Porto.

Podem descarregar o programa directamente ou subscrever o podcast.
Duração total: 31:38

Papel dos Deputados Municipais
Com um percurso já longo no CDS-PP, nomeadamente na Juventude Popular, como presidente da distrital do Porto e presidente nacional, e também na CMP como adjunto do vereador Sampaio Pimentel, Pedro Moutinho começa por defender uma interpretação mais abrangente do papel de deputado municipal referindo que “um deputado municipal é um actor político, o seu palco é a cidade, mas não tem que circuscrever a sua actuação política ao que se passa na cidade.” exemplificando com os temas do Aeroporto Francisco Sá Carneiro ou a rede de alta velocidade.
Para além disso entende que deve existir uma articulação interna dentro dos próprios partidos entre os representantes eleitos nos diferentes niveis: freguesia, municipio, país. O que aliás se verificou no passado dia 20-fev na Convenção de Autarcas do CDS/PP Porto.

Aeroporto Francisco Sá Carneiro
Um dos temas aí discutido foi o Aeroporto Francisco Sá Carneiro e toda a questão relativa à privatização da ANA e gestão dos “seus” aeroportos.
Para Pedro Moutinho, esta “infraestrutura não pode estar a ser gerida em função de nenhuma outra, tem que ser gerida em função dos interesses da região“, defendendo a privatização em separado dos aeroportos nacionais.

Organização Administrativa
Outro dos temas debatidos na referida convenção foi a organização administrativa do país. Em relação a isto Pedro Moutinho considera que a situação actual, em que o país é todo gerido a partir da capital, é negativa, mas também refere o seu receio de que “é possível termos a regionalização e continuar tudo na mesma”, admitindo que ainda não tem uma ideia definitiva em relação a qual será a melhor organização para o país.
De qualquer forma ilustra algumas situações que considera que devem ser alteradas.
“O Porto não consegue gerir o seu património escolar nem a sua política educativa (…),o Porto não é capaz de gerir a sua rede de saúde, o Porto não é capaz de gerir muitas outras áreas que são de alta relevância para a sociedade local, são as pessoas que estão no terreno que deverão estar a gerir isto e não a administração central.”
“É lamentável que o Porto dependa do Turismo de Portugal como depende para poder ter um incentivo, um apoio, uma promoção dos eventos realizados na cidade, e que se veja, como a câmara trouxe a exemplo nessa altura, que um congresso de pasteleiros em lisboa tenha um apoio sobre a um evento como o Red Bull Air Race.”

O CDS-PP na gestão da cidade do Porto
Uma das questões que se põe normalmente em governos de coligação é o da percepção que os cidadãos fazem de cada um dos partidos que a constitui. A este nivel, Pedro Moutinho considera que os cidadãos do Porto conseguem identificar as grandes marcas dos vereadores do CDSPP, nomeadamente Alvaro Castelo-Branco e o papel que teve, como vereador do Ambiente, na melhoria, por exemplo, da qualidade das praias do Porto, ou de Sampaio Pimentel na gestão de recursos humanos da Câmara.
Para Pedro Moutinho, “as pessoas percebem que hoje a Câmara funciona melhor, percebem que a Câmara teve que tomar posições dificeis e de coragem na gestão dos seus recursos humanos” e que essa qualidade se vê por exemplo na Polícia Municipal.

Gastos Públicos
Quando questionado sobre o comunicado da CDU de “Moralização dos gastos públicos”, Pedro Moutinho frisou que considera que as “funções politicas em portugal são mal pagas, por isso é que Portugal tem sido governado por incompetentes”. Actualmente “só quem tem muito boa vontade e um conforto financeiro que não advém da vida pública é que se dedica com competência à causa pública”.
Pelo que “se quisermos ter na administração publica gestores competentes temos que lhes pagar um salário que concorra com o que eles ganhariam numa empresa privada”.

Zona Oriental
Finalmente, a propósito da Zona Oriental que tinha sido tema de debate da ultima Assembleia Municipal e também tinha sido referida numa entrevista ao jornal Grande Porto como uma zona da cidade em que o CDS-PP teria que reforçar a sua presença, Pedro Moutinho referiu que a Zona Oriental é de facto uma “parte da cidade que não está ao mesmo ritmo que a zona ocidental”.
No entanto neste momento, a nivel de CDS-PP, ficou a ideia de que é necessário primeiro um trabalho de organização do próprio partido para posteriormente apresentar propostas mais concretas para a reabilitação desta parte da cidade.

(Imagens cedidas pela Cidade Surpreendenteaqui e aqui)

One Trackback

  1. […] Leia aqui a entrevista de Pedro Moutinho, presidente da CPC do CDS/PP Porto e deputado da Assembleia Municipal do Porto, ao website O Porto em conversa. «“um deputado municipal é um actor político, o seu palco é a cidade, mas não tem que circuscrever a sua actuação política ao que se passa na cidade.” exemplificando com os temas do Aeroporto Francisco Sá Carneiro ou a rede de alta velocidade. Para além disso entende que deve existir uma articulação interna dentro dos próprios partidos entre os representantes eleitos nos diferentes niveis: freguesia, municipio, país. O que aliás se verificou no passado dia 20-fev na Convenção de Autarcas do CDS/PP Porto.» […]

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

*
*

Better Tag Cloud