Pedro Macedo – Reserva Ornitológica de Mindelo

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Na apresentação realizada no IV Encontro Convergir, que se realizou na Trofa, em 29 de Maio de 2010, Pedro Macedo apresentou a Reserva Ornitológica de Mindelo e todo o processo que levou à sua constituição.

Podem descarregar o programa directamente ou subscrever o podcast.
Duração Total: 19:50

Começando por destacar que a questão da Reserva Ornitológica de Mindelo não deve ser vista como um assunto encerrado mas sim como algo que tem que ser permanentemente acompanhado, Pedro Macedo iniciou a sua apresentação com um pequeno historial do que foi este processo.

A antiga Reserva Ornitológica do Mindelo foi criada em 1957, tendo sido a primeira area classificada com objectivos de conservação da natureza e, nas palavras de Pedro Macedo, foi uma espécie de “pacto com o diabo” entre o prof Santos Junior, que pretendia estudar as aves dessa zona, e as pessoas do Mindelo que costumavam aí apanhar aves, recorrendo a técnicas tradicionais, no que eram acompanhadas por pessoas de fora dessa região que o faziam com armas.
Essa relação permitiu limitar o acesso externo a essa zona ao mesmo tempo que permitia a captura para posterior anilhamento das aves.

Esta zona que tinha uma grande mancha de dunas foi entranto objecto de grande pressão urbanística, extracção de areias, deposição de lixos o que levou a diminuição grande da sua área bem como qualidade da mesma.
Nos anos 80 era uma zona que estava esquecida tendo na altura aparecido um projecto do arq Nuno Portas que fez, para aí, um projecto de 1500 casas, escolas, piscinas, etc. Este projecto que chegou a ser aprovado pela C.M de Vila do Conde não foi no entanto implementado, em parte devido a pressão das associações do ambiente.
Entretanto iam sendo apresentados trabalhos para o novo estatuto da reserva mas sempre foram ficando na gaveta.

O processo que leva ao actual estatuto da reserva foi resultado por isso de muita persistência.
Como referiu Pedro Macedo este foi um processo de dez anos onde se começou por conhecer do que estavam a falar (do ponto de vista biológico), levando muitos especialistas aos local, estando no terreno de forma contínua de forma a criar confiança com as pessoas do local (agricultores), ouvindo entidades e envolvendo a população. Tudo isto ajudou a criar argumentos para a defender.

Houve muito trabalho de lobi, falando com todas as entidades possiveis e imaginaveis, efectuando abaixo assinaddo, trabalhos com comunicação social, pareceres, requerimentos. Nas palavras de Pedro Macedo, durante quase 2 anos seguidos todas as semanas seguiam cartas para a CM com assinaturas e propostas. Propostas estas que eram desenvolvidas também com com grande apoio da Faculdade de Ciências.

No capítulo do envolvimento com a população, referiu a iniciativa de durante um ano lectivo completo terem trabalhado com jovens demindelo, o que permitiu uma ligação local muito forte. Tudo isto criou um contexto propício para que pudessem passar à acção e não ter que ficar à espera das entidades.
Aí iniciaram processo de limpeza das linhas de agua, construção de observatorios, ou seja trabalho de demonstração do que se queria fazer.

No fundo o que fizeram foi criar um grande chapéu que albergasse um conjunto de entidades (amigos do mindelo mas tambem escolas da freguesia, escuteiros, ecoclube do mindelo, cm a partir de certa altura, associações e universidades) e que lhes permitisse desenvolver o trabalho que pretendiam na reserva.

É preciso ser muito resistente, concluiu.

One Trackback

  1. […] mais umas intervenções do IV Encontro Convergir, uma sobre o processo que levou à criação da Reserva Ornitológica do Mindelo e outra sobre a Barragem do Sabor… agora que começa a ser difícil reverter também o […]

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

*
*

Better Tag Cloud