Francisco Flórido – Movimento Terra Solta

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

893730_4794471940080_451151283_o (1)

No regresso a “O Porto em Conversa”, cerca de 3 anos depois da última entrevista, falei com Francisco Flórido, eng. Florestal de formação, mentor ou co-autor de projetos com alguma visibilidade na área da agricultura urbana no Porto como a Quinta Musas da Fontinha ou a mais recente Quinta da Mitra com a Associação Terra Solta.

Podem descarregar o programa directamente ou subscrever o podcast.
Duração Total: 45:56

Fizemos uma pequena retrospectiva da ideia de “agricultura urbana” nos últimos 3 anos e ao mesmo tempo da relação de alguns poderes públicos do Porto com a chamada sociedade civil.

Relativamente ao primeiro ponto, Francisco Flórido refere que “gostava que não fosse uma moda” esta questão da agricultura urbana mas “não sabe se esta vontade [voltar à agricultura] é uma vontade contínua com sustentabilidade no tempo”

CarlosRomao_FranciscoFlorido_ForumVoluntariado_2

Retrospectivamente, considera o projeto da Quinta Musas da Fontinha como algo que ultrapassou todas as suas expectativas, um projeto que durante um ano conseguiu congregar cerca de 100 pessoas em cada sábado, que serviu para de certa forma abanar algumas estruturas e demonstrar que este tipo de projetos era possível de ser levado a cabo e por isso disse que “jamais vou passar por uma experiência tão gratificante como foi o arranque da QMF

Com esta e outras experiências surgiu o movimento terra solta que agora é associação terra solta e que dinamiza o projeto “Quinta do Mitra” num terreno cedido pela Junta de Freguesia de Campanhã. Uma parceria que surgiu numa altura em que a Câmara Municipal parecia ignorar alguns movimentos na cidade.
Numa nota final positiva Francisco Flórido referiu que, com este executivo, mesmo se parece ainda não haver um plano completo formado do que se quer atingir a nível de agricultura urbana ou relacionamento com associações, verifica-se desde já uma abertura e disponibilidade para dialogar e trocar ideias que deixa boas perspetivas para os próximos anos.

Créditos Foto: Porto24 / Carlos Romão

1 comment.

Leave a comment.

Your email address will not be published. Required fields are marked *