Pedro Rios – Porto24

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

A propósito do novo projecto Porto24 estive à conversa com Pedro Rios para ficar a conhecer melhor o que vai ser este projecto e quais as motivações da equipa que o desenvolve.

Podem descarregar o programa directamente ou subscrever o podcast.
Duração Total: 29:07
continue reading »

Conversa com Alexandre Gamela – Jornalismo Digital – parte 2

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

O tema que acompanhou as duas partes desta entrevista com Alexandre Gamela foi o jornalismo digital, nomeadamente o seu contexto e os desafios que apresenta.

Na segunda parte desta entrevista detalhamos principalmente a experiência do site que acompanhou a tragédia da Madeira, porque teve tanto sucesso e como evoluiu.

Duração total – 29:45
Podem descarregar o programa directamente ou subscrever o podcast
continue reading »

Conversa com Alexandre Gamela – Jornalismo Digital – parte 1

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

O tema que acompanhou as duas partes desta entrevista com Alexandre Gamela foi o jornalismo digital, nomeadamente o seu contexto e os desafios que apresenta.

Nesta primeira parte falamos do glamour do jornalismo, da gestão de comunidades virtuais e da realidade portuguesa do jornalismo digital.

Duração total – 38:13
Podem descarregar o programa directamente ou subscrever o podcast
continue reading »

Conversa com José Freitas – podcast

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Nesta edição do Porto em Conversa falei com José Freitas, jornalista no Jornal Primeira Mão e Rádio Lidador.

O tema foi a comunicação social e os desafios e alguns constrangimentos com que tem que lidar no mundo actual da informação instantânea e permanente da Internet.

Também falamos do papel do “jornalismo do cidadão” e qual o papel que pode ter no actual mundo das notícias.

Duração total – 38:41

Podem descarregar o programa directamente ou subscrever o podcast através deste link .

Algumas notas:

  • o que diferencia os jornalistas dos bloggers, obrigação do principio do contraditório, confirmação das fontes.
  • bloggers podem ser parceiros e complementos aos jornalistas
  • os cidadãos dão o quê e os jornalistas dão o porquê => mas há também a componente de profissão, fazer porque é a sua profissão. jornalista por ordem profissinoal tem que ir
  • 04:00 – “…cada um [blogger/jornalista] terá as suas funções, a pessoa que em casa quer ser um pouco uma espécie de jornalista mas que “hoje até nem me apatece estar agora a escrever sobre determinada coisa, ou ir aquele sitio para poder escrever sobre isso” não vai, não tem essa obrigação. o jornalista por questões de ordem profissional tem que ir, se o “chefe” lhe indica, é preciso ir ali, terá que ir e terá depois que contar a história…nem todas as historias, nem tudo aquilo que é informação poderá ser interessante para o jornalista-cidadão ou para aquelas pessoas que agora surgem a relatar coisas que… de facto só relatam porque têm interesse nelas, se não tiverem interesse nelas não vão relatar.”
  • 05:00 – confiança (também no jornalismo) é algo que se constroi
  • 08:40 – qualidade do jornalismo – como sobreviver ao excesso de informação
  • 09:20 – “durante muitos anos tivemos em Portugal aquilo que se convencionou chamar o Portugal Sentado que era as questões do governo, as conferências, debates, seminários, mas não havia povo, não havia rua, não havia vida nessas noticias…”
  • “excesso de informação quer dizer que é boa informação?”
  • 11:50 – necessidades do jornalismo actual: “análise, informação, concreta, correcta, bem trabalhada, bem desenvolvida, bem escrita, e depois amplamente ilustrada com uns infograficos, com fotografias bonitas ou que enquadrem bem a informação, que dêem informação extra, se calhar uma ou outra ilustração, (…) o problema é que isso custa dinheiro”
  • 13:00 – “é complicado estar a enviar alguém para a rua para fazer uma história que só pode passar daqui a uns três ou quatro dias porque há que contactar com x, y, z e isso não pode ser porque é tempo perdido e temos que seguir em frente porque há outras histórias, outras notícias…”
  • 14:00 – mas há mesmo notícias para transmitir?
  • 15:15 – jornalistas ainda servem como ferramenta para os cidadãos fazerem pressão sobre outros
  • 17:00 – a noticia é importante ou relevante tendo em conta aquilo que nós pensamos
  • 19:00 – os jornalistas têm que ser especialistas em todos os assuntos e nas ferramentas (audio, video, fotografia, grafismo, …), empresarialmente dá jeito…
  • 21:00 – quais as especificidades de cada meio – jornal, audio, video, web
  • 22:00 – “…aquela notícia já está feita só tem é que ser transportada para outro plano… se vamos estar a refazê-la, estamos a fazer a mesma noticia duas vezes…”
  • 26:00 – o jornalismo regional – “não é por falta de noticias que não se tem noticias”. “há demasiadas coisas, não se consegue é estar em todo o lado”
  • 27:50 – jornalismo como gestor de comunidades? => paralelo com correspondentes.
  • 32:00 – não há noticias do país… por concentração dos meios, quer jornalistas, quer pessoas… falta de massa humana nos locais