Movimento Cívico pela Linha do Tua – Nuno Castro Henriques

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Nuno Castro Henriques, Presidente da direcção do IDP, apresenta o estudo “Tua Valley” que o instituto realizou sobre o Tua, um estudo que dá por adquirido que é necessário manter na totalidade a linha, porque ela é uma alavanca para o desenvolvimento da região.

Nesta apresentação efectuada a 17 de Janeiro de 2009 em Bragança num debate organizado pelo Movimento Civico da Linha do Tua, refere que um dos objectivos deste estudo e da sua eventual implementação é projectar o vale do Tua como uma identidade própria explorando património natural, produtos agrícolas e bens culturais já que “viajar no Vale do Tua é viajar na natureza da região e também na sua cultura”.

Refere ainda que as afinidades com outras terras do mediterrâneo que poderiam ser aproveitadas pelos autarcas de forma a criar uma rede maior de contactos.

Em relação ao projecto da construção da barragem, considera que “não há razões tecnológicas para continuar a investir num programa de barragens com tecnologia de 60 anos” e que o projecto “é um excelente negocio para a EDP mas um péssimo negócio para a região e para o país”.

Podem descarregar o programa directamente ou subscrever o podcast através deste link .
Duração Total: 19:07

Perspectiva de que a barragem de foz tua é um excelente negocio para a edp mas um pessimo negocio para a regiao e para o país
Desenvolvimento deve ter perspectiva local e nacional
Estudo dá por adquirido que é necessário manter na totalidade a linha, pq ela é uma alavanca para o desenvolvimento da regiao
Necessario projectar o vale do tua como uma identidade que a tem
(ver estudo tua valley)
Patrimonio natural, produtos agricola e bens culturais
Tua valley – mediterraneo das montanhas
Olivais, vinhas, amendoas
Afinidades com outras terras do mediterraneo que poderiam ser aproveitadas por autarcas com essas regioes
Grande olivença => todo o interior do pais => 50% de territorio, 20% população, 10% pib
Raciocinio dos apoios europeus nao funciona no interior do pais
Para alem da agricultura => rede de acessibildiades, cluster de desenvolvimento urbano turistico, parque tematico
Acessibildiades – rede ferroviaria . tua-mirandela-bragança-sanabria – evitar que tras-os-montes fique abandonada
Melhoria do aerodromo de bragança para poder receber lowcost
Bragança – cidade portuguesa mais proxima de paris
Navegabilidade do rio doouro pode ser melhorada com investimentos de 10-12M€ para ser totalmente navegavel até miranda do douro
Compativel com centrais minihidircas ou fotovoltaicas
Instalação de complexo logistico intermodal do pocinho
Parque tematico => quem viaja na linha do tua => contemplação e fruição mas passiva.
Seleccionar algumas das estações ao longo da via e musealiza-las – apresentar patrimonio natural da regiao e ao mesmo tempo os seus produtos
Viajar no vale do tua é viajar na natureza da região e também na sua cultura
=>cluster de desenvolvimento urbano turistico
Fluviario (ex fluviario de mora), equipamentos turisticos
Residencias seniores, turismo termal, praias fluviais, coutos fluviais
Não há razões tecnologicas para continuar a investir num programa de barragens com tecnologia de 60 anos
Investimento de 170M€ na regiao

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

*
*

Better Tag Cloud