Olhares Cruzados sobre o Porto VII – Arlindo Cunha

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Arlindo Cunha, actual presidente do Conselho de Administração da Porto Vivo, trouxe o seu “testemunho breve e informal do que, como não especialista, tem vivido nestes 5 anos na Porto Vivo”.
Na sua intervenção na segunda sessão dos Olhares Cruzados sobre o Porto VII, dedicado ao tema da reabilitação urbana, apresentou essencialmente uma visão prática dos desafios que se põem a uma sociedade de reabilitação urbana.

Podem descarregar o programa directamente ou subscrever o podcast.
Duração total: 18:27

Apresenta o papel da SRU não como o de promotor imobiliário mas sim de facilitador, no sentido de promover parcerias entre proprietarios e construtores, numa abordagem sistémica e global, mas que esbarra em problemas como a falta de cadastro urbano.
Aliás as questões jurídicas são apontadas como as criadoras de grande parte dos atrasos e também de situações estranhas como por exemplo “nas expropriações já aconteceu pagar mais aos inclinos que aos proprietários”.

Considera a SRU um pontapé de saída na resolução deste problema mas critica a “atribuição exclusiva aos municipios da responsabilidade de reabilitar”, até porque grande parte do problema veio de medidas do poder central, como por exemplo a questão das rendas.

Apontando como positivas algumas medidas fiscais acha no entanto que falta espaço e outras medidas para o pequeno investidor e refere também como importante multiplicar iniciativas do Recria já que actualmente tem um âmbito muito restrito e dotações financeiras limitadas.

Finalmente, a propósito da lei das rendas, e numa visão de economista, considera que se deve deixar o mercado funcionar e resolver problemas sociais com subsidio de renda.

Olhares Cruzados sobre o Porto é uma organização da Universidade Católica e do Público.

(Imagem retirada do blog Zénite)

Leave a comment.

Your email address will not be published. Required fields are marked *