Olhares Cruzados sobre o Porto VII – Daniel Bessa

Audio clip: Adobe Flash Player (version 9 or above) is required to play this audio clip. Download the latest version here. You also need to have JavaScript enabled in your browser.

Na sua intervenção na terceira sessão dos Olhares Cruzados sobre o Porto VII, dedicado ao tema da economia na região Norte, de Daniel Bessa, economista, referiu que já há bons exemplos de empresas competitivas à escala europeia na economia portuguesa mas que ainda há um longo caminho a percorrer.

Podem descarregar o programa directamente ou subscrever o podcast.
Duração total: 23:57

Começou por referir a diferença entre emprego e riqueza. Na sua opinião, “a nossa maior preocupação [deverá ser] o nivel de vida, o bem estar“, daí que considere que “o emprego não é a preocupação maior das economias. uma economia não existe para criar emprego. uma economia existe (…) para criar os bens e serviços que a nação consome. tem muito que ver com o vida de todos os dias, com o bem estar e o emprego é um subproduto.”
Na sua opinião, “construímos um modesto mas belo modo de vida a produzir os texteis, o calçado, a cortiça e essas outras coisas que hoje estão na mó de baixo, que criaram muito emprego (…), esse tempo passou“.

De qualquer forma, para Daniel Bessa, o país está a encontrar outras coisas para produzir, “produzidas quase sempre por pessoas com outra preparação”. Continua dizendo que “a maioria dos casos de sucesso na economia portuguesa são empresas que estão a produzir coisas novas e essas coisas novas são mais sofisticadas”, e mesmo actividades antigas que subsistem já não o fazem como antigamente.
O problema, na sua opinião, é que nos atrasamos muito neste processo, e a baixa taxa de desemprego por volta do ano 2000 foi em parte responsável por isso.

Mesmo nestas novas áreas em que somos suficientemente, Daniel Bessa considera que continua a ser vantajoso para Portugal ser relativamente barato em comparação com outros países europeus: “é por isso que acho com humildade que é muito importante que nós continuemos a ser os mais baratos da zona do euro, porque no dia em que o não formos a coisa muda de figura, e no meu ponto de vista, pior para nós”, disse.

Também Daniel Bessa considera que esta reconversão da economia portuguesa não vai gerar suficientes novos postos de trabalho, para ele, “vai haver muita gente que não tem emprego e que vai perder emprego”.
Considera por isso que “Portugal deve ter um segundo mercado de emprego (…) fora dessa logica mercantil (…) como o patrimonio natural, patrimonio construido, area dos cuidados de saude, acompanhamento das crianças e idosos, …”

Olhares Cruzados sobre o Porto é uma organização da Universidade Católica e do Público.

(Imagem retirada daqui)

One Trackback

  1. By Oresund@Portic | OsMeusApontamentos on April 26, 2010 at 14:20

    [...] Numa das intervenções dos Olhares Cruzados sobre o Porto deste ano, Daniel Bessa referia, para demonstrar o seu optismo em relação ao país, que ele está a encontrar outras coisas para produzir, coisas essas que são "produzidas quase sempre por pessoas com outra preparação", e continuava dizendo que "a maioria dos casos de sucesso na economia portuguesa são empresas que estão a produzir coisas novas e essas coisas novas são mais sofisticadas”. (pode ouvir o resto da intervenção aqui) [...]

Post a Comment

Your email is never published nor shared. Required fields are marked *

*
*

Better Tag Cloud